Auxílio emergencial: principais erros de cadastro provocam a demora na análise do benefício

Anúncios

Foi divulgado na terça-feira (5) pela Caixa Econômica Federal alguns dos principais erros na hora do preenchimento do cadastro do auxílio emergencial que provocam a demora na análise do benefício.

Em alguns casos, o aplicativo ou site pode retornar como “dados inconclusivos”, neste caso, é possível fazer uma nova solicitação corrigindo os dados que foram apontados.

Principais erros no cadastro do auxílio emergencial

Dentre os principais erros mencionados pela Caixa estão:

  • Falta de inserção da informação do sexo;
  • Marcação de chefe de família sem indicar nenhum membro;
  • Mais de uma pessoa fez o cadastro e ocorreu divergência nos dados fornecidos entre eles;
  • Inserção errada de dados de membro da família, como data de nascimento e número do CPF;
  • Cadastro por mais de uma pessoa do mesmo grupo familiar;
  • Inclusão de alguma pessoa da família com indicativo de óbito;
  • Se regularizou ou fez a atualização dos dados do CPF recentemente, é necessário esperar pelos menos três dias para fazer novamente a tentativa.

Principais motivos para a negativa do auxílio

Anúncios

Além disso, a Caixa Econômica Federal ainda informou alguns dos motivos para a negativa do auxílio, veja:

  • Ser menor de 18 anos;
  • Ser empregado com carteira assinada;
  • Estar recebendo Seguro Desemprego;
  • Ser aposentado ou pensionista do INSS;
  • Receber outros auxílios, com exceção do Bolsa Família: Benefício de Prestação Continuada (BPC); Auxílio Doença; Garantia Safra; Seguro Defeso;
  • Pertencer a uma família que a renda mensal por pessoal é superior a meio salário mínimo, ou seja, R$ 522,50;
  • Ter renda familiar total superior a três salários mínimos R$ 3.135,00;
  • Ter tido rendimento tributáveis, no ano de 2018, acima de R$ 28.559,70, ou seja, que tenha declarado Imposto de Renda em 2019;
  • Cadastro como “mãe solteira” de mulher casada;
  • CPF de pessoa falecida;
  • CPF irregular;
  • Cadastro de mais de duas pessoas da mesma família;
  • Limite maior que duas pessoas que recebem o Bolsa Família;
  • Cadastro em aplicativo ou site fraudulento, que não seja o Auxílio Emergencial Caixa.

Assim sendo, se o resultado da análise voltou com o resultado “não aprovado”, e o solicitante discordar que está entre as opções mencionadas acima, é possível refazer a contestação no aplicativo ou através do site do auxílio emergencial. 

Compartilhe:

Posts Relacionados