Como funciona a portabilidade do saldo devedor do cartão de crédito? 

A portabilidade do saldo devedor do cartão de crédito é uma nova possibilidade para quitar suas dívidas com condições melhores.

Anúncios

Nessa opção, basicamente você consegue transferir seu débito para o banco que lhe oferece as menores taxas. Mas, será que vale a pena aderir? Quem pode realizar essa operação?

Essas e outras dúvidas serão resolvidas ao longo do conteúdo abaixo, então, para saber se essa é a solução financeira que você tanto aguardava, continue a leitura!

O que é a portabilidade de saldo devedor do cartão de crédito?

Desde o último dia 1º de julho a possibilidade de portabilidade do saldo devedor do cartão de crédito foi anunciada pelo Conselho Monetário Nacional (CMN), como medida para reduzir o número de endividados no país.

É provável que você já tenha notado que parte significativa das pessoas endividadas estão nessa situação graças aos juros do cartão de crédito.

Dívidas relativamente pequenas se tornam bolas de neve com poucos meses de atraso graças aos juros, e nem sempre o banco credor está interessado em favorecer as condições de pagamento.

Pensando exatamente nesta situação, a portabilidade de saldo devedor do cartão de crédito promete ser uma solução, já que por meio dela é possível transferir a dívida a uma instituição financeira que oferece melhores condições de negociação.

Essa é uma boa proposta especialmente para quem já tentou todo tipo de negociação, e só recebeu recusas ou propostas pouco vantajosas do banco credor original.

Se antes o devedor era “refém” dessa situação, com a nova resolução do CMN, o mesmo tem a possibilidade de escolher o melhor acordo do mercado para livrar-se das pendências com cartão de crédito.

A ideia é que assim o brasileiro volte a ter acesso ao crédito, livrando-se de juros abusivos que tornam suas dívidas praticamente impossíveis de resolver.

Como fazer a portabilidade do saldo devedor do cartão de crédito?

É importante esclarecer que a portabilidade do saldo devedor do cartão de crédito não é um programa do Governo ou algo do tipo, e sim uma espécie de produto financeiro.

Então, basicamente o CMN criou um novo produto financeiro, que permite novas estratégias de renegociação por meio da competitividade de mercado.

Então, se antes apenas o banco original podia oferecer condições de negociação, agora outros bancos podem lançar suas propostas, e a mais vantajosa para o devedor leva o contrato.

Dito isso, para realizar a portabilidade você deve, antes de tudo, recolher as informações referentes ao seu débito, incluindo: valor original em atraso, data de vencimento, juros do contrato e tentativas de negociação.

Isso feito, procure por outras instituições financeiras a fim de conferir ofertas para negociação do seu débito. 

Encontrou uma boa proposta? Então, aguarde, pois o banco credor original terá até 5 dias para apresentar uma contraproposta, visando a melhor oferta ao devedor.

Caso o banco não ofereça uma contraproposta ou esta seja menos vantajosa que a opção de negociação da nova credora, o cliente poderá concretizar a portabilidade.

Isso feito, o novo credor enviará o valor do crédito para o credor original, e em seguida continuará a tratativa do pagamento das parcelas com o cliente.

A partir deste momento a responsabilidade pelo débito passa a ser do novo credor, e você terá que pagar o acordo para evitar a inadimplência. 

Então, na prática, a portabilidade funciona por meio de crédito, onde o banco da renegociação quita a dívida com o antigo banco, e repassa esse “financiamento” ao cliente/devedor.

++Negociar as dívidas: veja por onde começar – Valor Notícias.

Quais cuidados tomar ao fazer a portabilidade do saldo devedor?

Embora seja uma proposta relativamente nova no mercado, a portabilidade do saldo devedor não é tão difícil de entender.

Como vimos, basicamente o novo banco “assume” a sua dívida, e realiza a cobrança desse “financiamento” por meio de uma negociação, oferecendo novos prazos e condições.

 Mas, embora prometa bons resultados, devemos lembrar que toda novidade atiça a curiosidade e criatividade dos golpistas.

Por isso, é importante que você tome alguns cuidados ao realizar este tipo de operação. Veja algumas recomendações abaixo.

1. Escolha uma instituição financeira reconhecida

Como pudemos ver, a escolha da instituição para realizar a portabilidade do saldo devedor do cartão de crédito deve ser feita pelo devedor.

Então, basicamente você entra em contato com o novo credor, busca propostas e dá andamento no processo de portabilidade.

Por isso, é importante que você priorize instituições financeiras reconhecidas no mercado, pois isso te oferecerá mais garantias.

Muitas empresas golpistas podem te garantir a portabilidade pensando apenas em roubar seus dados ou receber pagamentos indevidos.

Fique atento e evite problemas!

2. Desconfie de SMS e e-mails

Jamais realize tratativas de portabilidade do saldo devedor do cartão de crédito através de recebimento de SMS ou e-mails com propostas “imperdíveis”.

Vale relembrar: é o cliente que deve entrar em contato para buscar negociações, então, desconfie de SMS ou e-mails que falem sobre o assunto.

A maior parte dessas tentativas de comunicação é feita por golpistas, e tem como foco acessar seus dados financeiros indevidamente.

3. Avalie as taxas de juros da renegociação 

Pode parecer uma dica boba, mas, poucas pessoas se atentam aos juros ao verem a possibilidade de finalmente se livrar do enrosco da dívida do cartão.

Nessa condição, toda proposta que livre o devedor da pilha de boletos vencidos e das ligações de cobrança a cada 5 minutos parece altamente vantajosa.

Mas, fique atento, pois juros altos podem tornar suas parcelas difíceis de pagar, ou até mesmo prolongar sua dívida por muito tempo.

Lembre-se de optar pela melhor condição de renegociação, assim, a portabilidade do saldo devedor do cartão de crédito realmente te oferecerá vantagens.

Especialmente se você vê o score em baixa ou até mesmo tem restrições financeiras por causa de dívidas com cartão de crédito, aproveite essa possibilidade para colocar tudo em dia e assim ter a sua saúde financeira de volta!

Leia também: Qual o limite ideal para cartão de crédito e como definir?  – Valor Notícias.

Trends