#Estude: Retorno anormal

0
97

O que é um retorno anormal?
Um retorno anormal descreve os lucros incomuns gerados por determinados títulos ou carteiras durante um período especificado. O desempenho é diferente da taxa de retorno (RoR) esperada ou antecipada do investimento. A taxa de retorno prevista é o retorno estimado com base em um modelo de precificação de ativos, usando uma média histórica de longo prazo ou várias avaliações.


Retornos anormais também são chamados retornos alfa ou excesso.

Por que retornos anormais são importantes
Retornos anormais são essenciais para determinar o desempenho ajustado ao risco de um título ou carteira, quando comparado ao mercado geral ou a um índice de referência. Retornos anormais podem ajudar a identificar as habilidades de um gerente de portfólio com base no risco ajustado. Também ilustrará se os investidores receberam remuneração adequada pelo montante do risco de investimento assumido.

Um retorno anormal pode ser positivo ou negativo. A figura é apenas um resumo de como os retornos reais diferem do rendimento previsto. Por exemplo, ganhar 30% em um fundo mútuo que se espera em média 10% ao ano criaria um retorno anormal positivo de 20%. Se, por outro lado, neste mesmo exemplo, o retorno real fosse de 5%, isso geraria um retorno anormal negativo de 5%.

Retorno anormal cumulativo
Retorno anormal cumulativo (CAR), é o total de todos os retornos anormais. Geralmente, o cálculo do retorno anormal cumulativo ocorre em uma pequena janela de tempo, geralmente apenas em alguns dias. Essa curta duração é porque as evidências mostraram que a combinação de retornos anormais diários pode criar viés nos resultados. O retorno anormal cumulativo (CAR) é usado para medir o efeito de ações judiciais, aquisições e outros eventos que afetam os preços das ações. O retorno anormal cumulativo (CAR) também é útil para determinar a precisão do modelo de precificação de ativos na previsão do desempenho esperado.

O modelo de precificação de ativos de capital (CAPM) é uma estrutura usada para calcular o retorno esperado de um título ou carteira, com base na taxa de retorno livre de risco, beta e no retorno esperado do mercado. Após o cálculo do retorno esperado de um título ou carteira, a estimativa para o retorno anormal é subtraindo o retorno esperado do retorno realizado. O retorno anormal pode ser positivo ou negativo, dependendo do desempenho do título ou do portfólio no período especificado.

Exemplo do mundo real
Suponha que a taxa de retorno sem risco seja de 2% e o índice de referência tenha um retorno esperado de 15%. Um investidor detém uma carteira de valores mobiliários e deseja calcular o retorno anormal de sua carteira durante o ano anterior.

O portfólio do investidor retornou 25% e teve um beta de 1,25 quando comparado ao índice de referência. Portanto, dada a quantidade de risco assumida, a carteira deveria ter retornado 18,25%, ou (2% + 1,25 x (15% – 2%)). Conseqüentemente, o retorno anormal no ano anterior foi de 6,75% ou 25 a 18,25%.

Os mesmos cálculos podem ser úteis para uma manutenção de estoque. Por exemplo, o estoque ABC retornou 9% e teve um beta de 2, quando comparado com seu índice de referência. Considere que a taxa de retorno sem risco é de 5% e o índice de referência tem um retorno esperado de 12%. Com base no modelo de precificação de ativos de capital (CAPM), as ações ABC têm um retorno esperado de 19%. Portanto, as ações ABC tiveram um retorno anormal de -10% e tiveram um desempenho abaixo do mercado durante esse período.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here