Empréstimo com juros baixos: como encontrar?

Anúncios

Todo mundo sabe que opção de empréstimo é o que não falta no mercado. Cada dia que passa, surge mais e mais opções de linhas de crédito para quem precisa daquela ajudinha financeira.

Enquanto alguns clientes priorizam fatores como prazo de pagamento e facilidade na aprovação como critério de desempate na hora de escolher uma instituição financeira, a grande maioria ainda preza por algo que faz muita diferença no bolso: as taxas de juros.

Mas onde conseguir essa linha de crédito com juros menores?

No conteúdo de hoje, separamos algumas opções para quem precisa de um empréstimo, mas não está disposto a pagar os juros altos que são tão comuns por aí.

Anúncios

O texto será em tópicos, e abordará os seguintes temas:

  • O que são os juros?
  • A busca pela menor taxa de juros do mercado
  • Taxa de juros, juros simples e juros composto
  • Quais fatores definem as taxas de juros de um empréstimo?
  • Modelos que oferecem as menores taxas de juros

O que são os juros?

Os juros estão presentes em quase todos os tipos de operações financeiras.

Eles são cobrados ao atrasar o pagamento de uma conta, ao usar o crédito do seu cheque especial e, falando do exemplo de hoje, quando você pega uma determinada quantia emprestada.

Os juros resultam no pagamento de um valor maior do que aquele que você pagaria inicialmente e, dependendo do setor ou do tipo de transação, os valores dessas taxas de juros podem ser maiores ou menores.

Cada tipo de transação trabalha com juros específicos.

Na área dos empréstimos, os juros são, basicamente, o valor que você paga para poder usar o dinheiro que você pegou emprestado por determinado período de tempo.

Basicamente, eles funcionam como um “aluguel” do dinheiro que a instituição te emprestou.

A busca pela menor taxa de juros do mercado

Não vou mentir para você: essa é a uma missão que exige muita pesquisa!

Para descobrir qual instituição que oferece as menores taxas de juros do mercado, é necessário pesquisar bastante e comparar as taxas oferecidas no mercado.

Por exemplo:

  • A opção A pode oferecer uma taxa de juros atrativa, mas com um prazo de pagamento muito curto;
  • Já a opção B possui um prazo de pagamento mais viável, porém as taxas de juros são bem altas;
  • Enquanto isso, a opção C oferece taxas menores, um prazo de pagamento interessante, mas a burocracia para solicitar o empréstimo parece não ter fim!Toda e qualquer instituição financeira terá pontos positivos e negativos nas suas transações.

Por isso, cabe a você pesquisar bem e comparar as condições oferecidas por cada uma antes de bater o martelo e fechar negócio com alguma.

Taxa de juros, juros simples e juros composto

Apesar de existirem vários tipos de taxas, quando o assunto é juros, esses talvez sejam os mais conhecidos do grande público.

Taxa de juros:

De maneira mais geral, esse é o valor em porcentagem cobrado pela instituição que empresta o dinheiro ou por quem vendeu algum serviço ou produto e pagou a prazo.

Essa taxa funciona mais ou menos assim: se a taxa sobre R$ 1 mil é de 5%, o devedor deve pagar R$ 50 a mais sobre o valor original.

Juros simples:

Esse tipo de juros é aplicado somente no valor inicial da dívida.

Por exemplo: Ao pegar R$ 2 mil emprestado e os juros oferecidos são de 5% ao mês, o cálculo da sua dívida será sempre feito levando em conta o valor inicial – no caso, os R$ 2 mil. Ou seja: todo mês, o acréscimo de juros em cima do valor será R$ 100.


Diferente do modelo que vamos falar em seguida, esse é bem incomum de ser utilizado.

Juros compostos:

Sem dúvidas esse aqui é o modelo mais comum praticado no mercado. Mais conhecido como “juros sobre juros”, esse modelo consiste em uma taxa de juros aplicada mês a mês.

Mas, diferente do modelo anterior, nesse os juros são acrescidos sobre o novo valor. Por exemplo:

Seguindo o exemplo anterior, ao pegar o valor de R$ 2 mil com uma taxa de 5% ao mês, o valor fica em R$ 2.100,00 no primeiro mês.

São R$ 100 de juros. Já no segundo, a taxa de 5% permanece, porém será em cima dos R$ 2.100,00, resultando em R$ 2.205,00 e assim por diante.

Quais fatores definem as taxas de juros de um empréstimo?

Alguns fatores que podem interferir nas taxas de juros oferecidas pela instituição são:

A relação do cliente com o banco

Nesse quesito, quanto melhor for a sua relação com a instituição – como histórico de pagamento, por exemplo – maiores tendem a ser as vantagens oferecidas na hora de solicitar um empréstimo.

O modelo de linha de crédito disponibilizada

Existem vários tipos de empréstimos disponíveis no mercado: pessoal, consignado, com garantia, cheque especial… Cada um deles possui suas próprias particularidades e taxas de juros.

O risco de inadimplência

Nesse quesito, o banco ou instituição leva em consideração as chances de receber ou não o valor de volta. Quanto maior o risco enxergado pelo banco, maiores serão as taxas de juros oferecidas.

Além desses, as políticas de crédito utilizadas pela empresa e até a situação da economia – como a taxa Selic, por exemplo – também podem interferir diretamente no cálculo dessas taxas.

Modelos que oferecem as menores taxas de juros

Abaixo, listamos duas linhas de crédito que podem ser uma boa opção para quem prioriza os juros baixos.

Empréstimo consignado:

Essa modalidade tem a vantagem de oferecer uma das melhores taxas de juros do mercado, menores que as aplicadas no empréstimo pessoal, por exemplo.

Talvez a maior desvantagem do modelo não é uma opção disponível para todos, sendo voltada especialmente para aposentados e pensionistas do INSS.

No empréstimo consignado, as parcelas são descontadas automaticamente do salário/benefício do cliente, diretamente na folha de pagamento.

Como o pagamento funciona diretamente da folha de pagamento, o banco entende que o risco de inadimplência é menor, resultando nos juros menores.

Empréstimo com garantia:

Outra modalidade bastante comum para quem busca taxas de juros é o empréstimo com garantia. Nele, o cliente pode oferecer seu imóvel ou veículo como garantia de pagamento.

Nesse modelo, os juros mais baixos (em média de 1,25% ao mês) e o prazo de pagamento mais longo são os principais atrativos.

Conclusão

Como dito lá no começo do texto, o principal segredo para conseguir obter as melhores condições na hora de contratar um empréstimo é a pesquisa.

Por meio dessas pesquisas, você consegue comparar as opções e, assim, escolher a forma e as condições que se encaixam melhor com a sua realidade financeira.

Gostou do conteúdo?

Aproveite para ler também Empréstimo com cartão de crédito: como funciona?.

Compartilhe:

Posts Relacionados