3° parcela do auxílio de alguns pode ser cortado

Anúncios

O benefício emergencial de R$ 600,00 vem sendo pago para milhões de brasileiros, mas a 3° parcela do auxílio de alguns brasileiros poderá ser cortada.

Portanto, isso significa que ter recebido a primeira e a segunda parcela não garante o recebimento das demais.

A razão para isso é que a cada pagamento uma reanálise do cadastro será realizada.

Anúncios

Segundo Onyx Lorenzoni, Ministro da Cidadania, a ideia é que os pagamentos indevidos, ou seja, de quem fez o cadastro irregularmente, seja cancelado.

Por exemplo, se o cidadão recebeu a primeira parcela do auxílio, mas entre o pagamento da segunda tenha conseguido um emprego de carteira assinada, ele já não tem mais direito ao benefício.

Afinal de contas, caso o beneficiário tenha um emprego formal, o sistema de análise dos dados vai vetar o pagamento automaticamente.

Inclusive, essa mesma premissa é válida para quem vai começar a receber outro benefício entre a primeira e a segunda parcela, como, por exemplo, a aposentadoria.

Por essa razão, a 3° parcela do auxílio de alguns brasileiros poderá ser cortada, já que será realizada uma nova análise dos beneficiários para se ter a garantia de que todos cumprem os requisitos necessários.

Outros motivos que levam ao 3° parcela do auxílio a ser cortada

Além disso, existem também alguns motivos que podem levar ao corte da terceira parcela do auxílio emergencial:

  • Está recebendo seguro desemprego;
  • Ser empregado de carteira assinada;
  • Ser aposentado ou pensionista do INSS;
  • CPF irregular;
  • Receber outros benefícios, comoBenefício de Prestação Continuada (BPC); Auxílio Doença; Garantia Safra; Seguro Defeso; com exceção do Bolsa Família;
  • Ser de família em que a renda mensal por pessoa é superior a meio salário mínimo, (R$ 522,50);
  • A renda familiar mensal total seja superior a 3 salários mínimos (R$ 3.135);
  • Limite maior do que duas pessoas que recebam Bolsa Família na mesma família.

E o calendário da terceira parcela?

Segundo Pedro Guimarães, presidente da Caixa Econômica Federal, o calendário de pagamento da terceira parcela estará disponível em duas semanas.

Além disso, ele afirmou que deve anunciar o cronograma de repasse do beneficio para o pagamento de lotes residuais em que visa aqueles trabalhadores que ainda não receberam nenhuma parcela do auxílio emergencial.

Compartilhe:

Posts Relacionados