Como funcionam os juros dos empréstimos?

Anúncios

Uma das maiores preocupações – senão a maior de todas – de quem pensa em recorrer aos empréstimos bancários são os juros. E como funcionam os juros dos empréstimos?

Apesar de algumas instituições financeiras oferecerem condições e taxa maiores ou menores, os juros estão presentes em todas as transações, e devem ser levados em consideração, já que eles podem pesar bastante no seu bolso na hora de pagar o valor que foi emprestado.

Mas você sabe ao certo como eles são calculados? Sabe como eles influenciam na conta final? Para te ajudar com essas dúvidas, preparamos esse conteúdo, onde esclarecemos alguns dos principais questionamentos sobre os temidos juros de empréstimos.

Anúncios

Para facilitar a sua leitura, o conteúdo será dividido nos seguintes tópicos:

  • O que são empréstimos?
  • O que são os juros?
  • Juros Simples e Juros Composto
  • Além dos juros
  • Como conseguir empréstimo com menores taxas de juros?
  • Qual banco possui a menor taxa de juros?
  • Conclusão

O que são empréstimos?

Um empréstimo é um acordo realizado entre o solicitante e a instituição financeira, onde o cliente recebe a transferência de uma quantia em dinheiro, que deverá ser devolvida em um determinado prazo de tempo, com alguns acréscimos

Oferecidos por bancos, financeiras e, de uns anos pra cá, pelas chamadas fintechs, os objetivos de um empréstimo podem ser vários: pagar dívidas, para viagens, casar, reformar a casa, etc.

Devido ao período em que o mundo enfrentou a pandemia de COVID-19, muitas pessoas acabaram perdendo seus empregos e, em boa parte dos casos, se endividando. Isso fez com que a procura por empréstimos aumentasse. Mas, apesar de parecer uma boa saída para se livrar das dívidas, ao optar por esse tipo de contrato é necessário ficar atento aos juros.

O que são os juros?

Presente em quase todos os tipos de transações financeiras, os juros são cobrados quando você atrasa o pagamento de uma conta, por exemplo. Isso resulta no pagamento de um valor maior do que aquele que você pagaria inicialmente.

Dependendo do setor, os valores desses juros podem ser maiores ou menores.

Cada tipo de transação trabalha com juros específicos, como: juros simples, juros compostos, juros de mora, juros nominais, juros rotativos, e assim por diante.

Já na área dos empréstimos, os juros são, basicamente, o valor que você paga para poder usar o dinheiro que você pegou emprestado por determinado período de tempo.

Quando você realiza um empréstimo, futuramente você deverá devolver o mesmo valor que você pegou emprestado + uma quantia extra como uma espécie de “pagamento” pelo uso do dinheiro que você pegou da instituição escolhida.

Essa quantia extra são os juros.

Juros Simples e Juros Composto

Hoje vamos falar de dois modelos de juros: os juros simples e juros compostos.

Quando falamos de empréstimos, as instituições geralmente utilizam os juros compostos. Apesar disso, os juros simples também podem ser utilizados nesse tipo de transação, mas isso geralmente acontece quando o prazo de pagamento é mais curto. Mesmo assim, o uso dos juros simples ainda é raro.

Por isso, ao solicitar um empréstimo em algum banco ou instituição financeira, é muito provável que você pagará os juros compostos.

Para que você consiga entender melhor, vamos tentar explicar rapidamente dois tipos de juros e como eles funcionam.

Juros simples:

Como o próprio nome já diz, eles são mais simples e costumam estar presentes nas transações financeiras do cotidiano, como em alguns cartões de crédito e em alguns empréstimos, por exemplo. Nesse modelo, os valores dos juros não mudam durante a operação, fazendo com que a porcentagem de juros seja mantida até o final do contrato.

Juros composto:

Aposto que você já ouviu falar dessa modalidade por outro nome. Esses são os famosos – e temidos – “juros sobre juros”.

Diferente do modelo anterior, eles são calculados sobre o valor total da operação + o valor dos juros simples. Esse tipo de juros é bastante comum em investimentos de longo prazo. Parece complicado, mas não é.

Vamos imaginar a seguinte situação:

O cliente pegou o valor de R$ 5 mil emprestado a uma taxa de juros de 3% ao mês.

No primeiro mês: R$ 5.000,00 a 3% = R$ 5.150,00. São R$ 150 de juros.
Já no segundo mês: R$ 5.150,00 a 3% = R$ 5.304,50 (R$ 154,50 de juros.

Nesse modelo, o prazo de pagamento faz toda a diferença. Quanto maior o tempo para a quitação do empréstimo, mais juros serão pagos.

Além dos juros

Além das famosas taxas de juros, é necessário ter atenção ao Custo Efetivo Total (CET). Presente em transações como empréstimos e financiamentos, o CET inclui algumas taxas administrativas e encargos financeiros que, na conta final, podem pesar no seu bolso.

  • IOF: o Imposto sobre Operações Financeiras é cobrado em casos de empréstimos, financiamento, operações de câmbio etc.
  • TAC: apesar de não ser uma taxa obrigatória, a Taxa de Abertura de Crédito ainda são cobradas por bancos e instituições financeiras por aí.
  • Taxa de Administração: assim como o exemplo anterior, essa também não é uma taxa obrigatória, mas poderá ser cobrada ao contratar o serviço.

Como conseguir empréstimo com menores taxas de juros?

Um aspecto que pode beneficiar o cliente é a concorrência entre as instituições financeiras. Como elas sempre buscam oferecer sempre taxas menores que as oferecidas pelos concorrentes, não é difícil achar ofertas interessantes para você.

Como saber o banco que possui a menor taxa de juros?

Na hora de escolher qual banco escolher, use a tecnologia a seu favor!

Com o surgimento e popularização das fintechs financeiras, as facilidades para realizar um empréstimo online com condições mais vantajosas também cresceram.

Além da praticidade e do atendimento mais facilitado, como essas empresas de tecnologia especializadas em finanças não possuem agências físicas – como os bancos tradicionais – os custos operacionais reduzidos acabam resultando em taxas de juros menores.

Conclusão

O melhor meio de conseguir um bom negócio é comparar as taxas de juros que cada um oferece.

Antes de tomar a sua decisão, é indispensável botar tudo na ponta do lápis – ou até mesmo em uma planilha financeira, para os mais tecnológicos – e avaliar se os juros e outras taxas realmente caberão no seu orçamento.

Seu bolso irá agradecer!

Gostou do conteúdo?

Aproveite para ler também Carteiras Digitais: conheça as 5 melhores do mercado.

Mais Aprovados do Site!

APROVAÇÃO EM ALTA!
Neon Visa
COMO SOLICITAR
Buscapé PAN
COMO SOLICITAR
RECOMENDADO!
cartão-de-crédito-santander-sx-visa
Santander SX
COMO SOLICITAR
Emprestimo-Bom-Pra-Credito-Pessoal
Bom pra Crédito
COMO SOLICITAR
Credicard Zero
COMO SOLICITAR

0

Valor Notícias
Logo