Trabalhei 6 meses tenho direito a quantas parcelas do seguro desemprego? 

Trabalhei 6 meses tenho direito a quantas parcelas do seguro desemprego é uma das dúvidas mais frequentes durante a solicitação do auxílio.

Anúncios

Isso porque, existem regras específicas quanto ao tempo trabalhado e o número de parcelas liberadas, o que determina questões importantes sobre o período de recebimento pelo trabalhador.

Há quem acredite que todos os beneficiados recebem 5 parcelas, mas, será que é assim? 

No material de hoje discutiremos sobre esse assunto, além de destacarmos todas as regras do seguro-desemprego.

Dito isso, para sanar sua dúvida e ficar por dentro do assunto, continue sua leitura!

Trabalhei 6 meses tenho direito a quantas parcelas do seguro desemprego? 

O que é o seguro desemprego?

Antes de falarmos sobre as regras para concessão de parcelas do seguro desemprego, é importante explicarmos o que é esse auxílio.

O seguro-desemprego é um auxílio concedido pela previdência social que tem por intuito garantir renda mínima a trabalhadores que perderam seus empregos de maneira inesperada.

Anúncios

Mas, vale dizer que não são todos os trabalhadores que têm o direito, assim como não são todos os tipos de rescisão contratual que permitem a solicitação do auxílio.

Isso porque, como já mencionamos, o seguro-desemprego é para quem perdeu o emprego de forma inesperada.

Isso significa que caso você peça demissão, ou seja demitido por justa causa, o auxílio não é concedido.

Além disso, o recebimento depende do cumprimento de alguns critérios, como tempo trabalhado antes da demissão e quantas vezes esse auxílio já foi concedido ao trabalhador.

Mas, em princípio, o que você precisa saber é que este é pago através de um auxílio financeiro, calculado com base no último salário recebido.

Além disso, o seguro é pago por no máximo 5 meses, mas, menos parcelas podem ser liberadas, a depender do caso.

Em breve veremos como funciona essa questão das parcelas e dos valores liberados.

Mas, se você passou pela perda de emprego de forma inesperada, vale consultar se tem direito ao seguro-desemprego!

A seguir você terá a resposta para “trabalhei 6 meses tenho direito a quantas parcelas do seguro-desemprego?”.

Quem tem direito ao seguro desemprego?

No tópico anterior você entendeu como o seguro desemprego funciona, e viu que este é um auxílio concedido em casos específicos.

Isso significa que não basta ter sido mandado embora do trabalho para poder dar entrada no seguro.

Com isso, podem surgir algumas dúvidas sobre quem pode solicitar o auxílio.

A regra principal é que o solicitante deve ter passado pela rescisão contratual de forma inesperada.

Isso significa que situações em que o encerramento do contrato era previsto, não dão direito à solicitação do seguro.

Um exemplo clássico são os contratos de trabalho por tempo determinado.

O mesmo vale para a demissão por justa causa, onde por haver motivo para rescisão, o colaborador não pode alegar surpresa.

E, por fim, se você pediu demissão, essa não ocorreu de forma inesperada, então, o seguro também não se aplica.

O motivo para isso é que o seguro visa evitar que o trabalhador enfrente problemas financeiros pela demissão inesperada.

Além disso, com o auxílio, o mesmo pode procurar por um novo emprego sem precisar se preocupar tanto com a renda.

Então, desde que você não se enquadre em nenhum dos casos exemplificados acima, pode solicitar o seguro-desemprego.

Vale dizer que após a solicitação, é feita uma análise para determinar se você tem direito, a qual valor e por qual período.

Essa é uma informação importante para responder à dúvida: “trabalhei por 6 meses tenho direito a quantas parcelas do seguro-desemprego?”.

Trabalhei 6 meses tenho direito a quantas parcelas do seguro desemprego?

A esta altura você já entende tudo sobre o seguro-desemprego e suas possibilidades de solicitação.

Desse modo, podemos finalmente voltar à nossa questão principal: “Trabalhei 6 meses tenho direito a quantas parcelas do seguro desemprego?”.

Para responder a essa pergunta, devemos antes entender sobre as regras relacionadas ao tempo mínimo de exercício para cada tempo de recebimento do seguro.

Como já dissemos, o seguro-desemprego libera ao trabalhador até 5 parcelas, ou seja, ele é pago por até 5 meses.

Mas, é importante destacar a palavra até, visto que não são todos os casos que recebem 5 parcelas.

Isso porque, a liberação de parcelas depende de 2 critérios principais:

  • Tempo trabalhado antes da demissão.
  • Quantas vezes o trabalhador já recebeu seguro-desemprego.

Essa questão das parcelas é pré-definida, e veremos agora como funciona.

Para trabalhadores que trabalharam por 6 meses, são 3 parcelas de seguro.

Já para quem trabalhou 12 meses, são 4 parcelas.

Por fim, para trabalhadores que permaneceram 24 meses no último emprego, o número é de 5 parcelas.

Então, fica claro que para quem trabalhou por 6 meses, por regra, 3 parcelas são liberadas.

Quanto ao valor de cada parcela, este pode variar de 1 salário mínimo até 2 salários mínimos nacionais vigentes.

O que determina o valor disponibilizado ao trabalhador é o último salário recebido por ele.

Por isso, vale fazer o cálculo, a fim de entender qual valor de direito, além do número de parcelas.

Trabalhei 6 meses tenho direito a quantas parcelas do seguro desemprego: como sacar?

Agora você já tem a resposta para a dúvida “Trabalhei 6 meses tenho direito a quantas parcelas do seguro desemprego?”, portanto, podemos falar sobre o saque do auxílio.

Vale dizer que o pagamento do seguro-desemprego ocorre pela administração da Caixa Econômica Federal, através do aplicativo Caixa TEM.

Após cair no Caixa TEM, você consegue transferir o auxílio para qualquer conta, via Pix ou transferência bancária.

Mas, caso prefira, durante a solicitação você consegue informar uma conta para recebimento do benefício.

Dessa forma, o valor irá diretamente para a conta escolhida, sem necessidade de usar o Caixa TEM.

É possível perder direito ao auxílio? 

Após saber a resposta para a dúvida “Trabalhei 6 meses tenho direito a quantas parcelas do seguro desemprego?” muitos acreditam que esse número de parcelas é fixo.

Ou seja, independentemente de qualquer coisa, o cidadão receberá o número de parcelas liberado de acordo com o tempo trabalhado.

Mas, vale dizer que isso não funciona bem assim.

Isso porque, por mais que ao ter trabalhado 6 meses você tenha direito a 3 parcelas, o seguro só é de direito enquanto a situação de desemprego persistir.

Isso significa que, caso você consiga outro emprego 1 ou 2 meses depois, ocorre suspensão do pagamento.

Desse modo, não ocorrerá pagamento das parcelas restantes, visto que você não necessita mais do auxílio.

É importante dizer que receber seguro-desemprego enquanto está trabalhando com registro é fraude.

Por isso, não evite o registro para não perder o auxílio, pois você pode ter problemas sérios.

Dito isso, agora você já sabe a resposta para a sua dúvida, além de entender tudo sobre o seguro-desemprego.

Para mais conteúdos relacionados às finanças, acompanhe o Valor Noticias!