Veja quando sai a segunda parcela do auxílio emergencial

Anúncios

De acordo com o presidente da Caixa Econômica Federal, Pedro Guimarães, as datas de pagamento da segunda parcela do auxílio emergencial ainda será divulgada nessa semana.

O calendário inicialmente estabelecia a liberação dos valores a partir do dia 27 de abril e a Caixa havia até mesmo anunciado que iria antecipar os pagamentos.

No entanto, ela foi cancelada e uma nova data da segunda parcela do auxílio emergencial ainda não foi apresentada.

Anúncios

Lembrando que esse pagamento indefinido engloba os inscritos por meio do aplicativo ou site do Auxílio Emergencial além daqueles que estão inscritos no Cadastro Único que não recebem Bolsa Família.

Por sua vez, os beneficiários do Bolsa Família vão receber os recursos de acordo com o calendário habitual desse benefício.

“Será na semana que vem, com certeza”, disse o Guimarães na última sexta-feira.

Segundo ele, a proposta da Caixa Econômica Federal para o calendário já está totalmente pronta, porém ainda precisa ser apresentada por ele e por Onyx Lorenzoni, Ministro da Cidadania, ao presidente do Brasil Bolsonaro, que precisa aprová-lo.

“Eu não vou anunciar agora, porque eu ainda tenho que bater com o ministro Onyx, ministro da Cidadania e nós dois iremos ao presidente da República Jair Bolsonaro, e só após o presidente da República concordar com todo o cronograma que nós vamos em conjunto apresentar, é que nós poderemos falar com vcs, mas certamente será na semana que vem”, comunicou Guimarães.

De acordo com o presidente da Caixa, o calendário deverá ser organizado de forma que as datas de pagamento não coincidam nem com as datas da liberação do Bolsa Família, nem com os saques em dinheiro de quem teve recursos depositados na Poupança Digital da Caixa, tudo como forma de evitar aglomerações e a formação de filas longas como tem se percebido nas últimas semanas.

Mais de 12 milhões de pessoas devem refazer cadastro

Cerca de 12,4 milhões de brasileiros que se inscreveram para receber o auxílio emergencial de R$ 600,00 devem refazer o cadastro através do site ou pelo aplicativo.

De acordo com a Caixa, esse é o número de inscritos que tiveram suas solicitações avaliadas como “inconclusivas”.

Isso significa que inseriram informações que não foram possíveis de serem analisadas no primeiro cadastramento, que podem incluir dados divergentes de endereço, dependentes ou CPF, entre outros problemas.

Segundo Pedro Guimarães, presidente da Caixa Econômica Federal, apenas os trabalhadores cujo cadastro foi determinado como inconclusivo pode refazer essa solicitação.

Portanto, aquelas que tiveram o pedido negado e obtiveram resposta como inelegíveis estão excluídos de forma definitiva.

“Inelegíveis não podem recadastrar, só os inconclusivos”, disse ele em entrevista.

Dados que foram apontados pela Caixa na última sexta-feira (11) apontam que, de um total de quase 97 milhões de cadastros no programa, 50,1 milhões foram aprovados.

Então, os outros 50,2 milhões ainda estão passando pela primeira análise, por isso ainda não foi divulgado o calendário da segunda parcela do auxílio emergencial.

Compartilhe:

Posts Relacionados