O que é Previdência Privada e como funciona?

o que é previdência privada e como funciona?
Anúncios

A previdência privada também tem por nome “aposentadoria complementar”, pois é uma excelente opção aos que pretendem complementar a aposentadoria recebida do governo que é paga por meio do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS).

Por outro lado, outros indivíduos que investem têm objetivos de médio e longo prazo, garantindo que não dependam da previdência pública.

Portanto, caso o seu intuito seja de garantir um futuro mais confortável, entenda a seguir todas as informações necessárias sobre este tipo de previdência.

Sumário com os tópicos apresentados:

  • Mas afinal, o que é previdência privada e como funciona?
  • Diferenças entre a previdência privada e a previdência social;
  • Qual o rendimento da previdência privada?
  • Qual o melhor plano de previdência privada?
  • Quanto tempo tenho que pagar e qual o valor da contribuição?
  • Conclusão.

Mas afinal, o que é previdência privada e como funciona?

Anúncios

Embora tenha sido regulamentada em 1977 pela Lei Nº 6.435, este tipo de investimento se tornou mais famoso depois de algumas alterações feitas através da Reforma da Previdência Social.

A reforma foi feita principalmente porque atualmente há 54 milhões de pessoas com mais de 50 anos, conforme projeções do IBGE.

Ou seja, a população do país está envelhecendo e o Estado não é capaz de fornecer o benefício de aposentadoria para todos.

No entanto, diversos economistas alertam que as alterações não serão suficientes para equilibrar as contas do governo.

Os mesmos especialistas afirmam que é possível a realização de uma nova reforma em alguns anos.

Por isso, o caminho dos brasileiros até a aposentadoria pública se tornou mais difícil.

Levando em consideração tal incerteza, no primeiro semestre de 2020 já haviam 13,5 milhões de indivíduos investindo na aposentadoria complementar, sendo que no segundo semestre do ano anterior, eram somente 11,2 milhões.

Isto é, os brasileiros passaram a investir mais na previdência complementar.

Mas, o que é previdência privada e como funciona?

A aposentadoria complementar funciona como um fundo disponibilizado por instituições financeiras, em que a pessoa define um valor e prazo para contribuir mensalmente.

Com o final do prazo definido, é possível receber o valor de maneira integral, mensal, temporária ou até mesmo vitalício (este último funciona como uma pensão).


Como funciona a previdência privada? 

Caso ainda tenha dúvidas acerca da seguridade deste tipo de aposentadoria, saiba que é regulamentada e fiscalizada pela Superintendência de Seguros Privados (Susep), um órgão federal.

E para explicar de fato como funciona a previdência privada devemos destacar os seus tipos:

Em primeiro lugar, há a aposentadoria complementar fechada que também tem por nome “fundo de pensão”.

Somente algumas empresas disponibilizam este tipo de aposentadoria aos seus funcionários, além das entidades de classe que fornecem aos seus associados como, por exemplo, advogados.

Por outro lado, a previdência complementar aberta é individual e voltada para qualquer público que pretende ter uma garantia para o seu futuro.

Este tipo de aposentadoria também é indicada para as empresas que pretendem fornecer previdência como benefício aos colaboradores. 

Neste caso, a contratação é feita por meio de uma instituição financeira, gestora independente de fundo de previdência ou uma corretora de investimentos.


Diferenças entre a previdência privada e a previdência social

Em nosso país a Previdência Social ou Pública é administrada pelo Governo Federal, sendo vista como um direito de todo cidadão.

Conforme o artigo 6º da Constituição Federal de 1988, este benefício é garantido ao trabalhador a partir do momento em que ele cumpre os requisitos para se aposentar.

Como resultado, é um seguro obrigatório para todos os trabalhadores com carteira assinada.

Portanto, as contribuições são descontadas mensalmente do salário do trabalhador.

De outro modo, o profissional autônomo deve efetuar o pagamento por meio da Guia da Previdência Social ou GPS.

Nesse sentido, note que na previdência social, as contribuições são obrigatórias e é necessário cumprir requisitos como o tempo de contribuição e a idade mínima para obter o benefício.

No caso da previdência privada, não é necessário cumprir nenhum tipo de requisito, pois o valor pode ser sacado a qualquer momento, desde que a pessoa assuma as possíveis perdas dos valores que foram projetados e estabelecidos durante a contratação.

Dessa forma, a previdência complementar se mostra mais flexível, visto que dá para negociar as condições para receber o valor.


Qual o rendimento da previdência privada?

Infelizmente não é possível saber qual o rendimento da previdência privada sem entrar em contato com a instituição financeira da sua escolha.

Assim como ocorre em outros tipos de investimento, o valor acumulado depende de três fatores principais:

Montante contribuído ao longo dos anos

Cada pessoa que recorre para a aposentadoria complementar tem condições diferentes.

Ao mesmo tempo em que a contribuição de um indivíduo é de R $100, outro é capaz de investir R $10 mil.

Nesse sentido, quanto mais você conseguir economizar e investir, melhor será o resultado no futuro.

Retorno obtido no investimento

No momento em que você define o plano da previdência privada, também é necessário escolher para onde vai o seu dinheiro, ou seja, o fundo de investimento.

Cada fundo tem uma técnica diferente, seja ela conservadora ou mais arriscada.

Uma dica antes de definir o tipo de investimento seria definir o seu perfil de investidor:

Para facilitar a definição, pense em quanto tempo pretende investir e nos riscos.

Por exemplo, a renda fixa é um fundo de investimento interessante para os que não pretendem correr riscos e querem investir durante um prazo curto.

Este é o perfil de uma pessoa conservadora, porém note que o investimento no fundo de renda fixa não tem um retorno alto quando pensamos a longo prazo.

Como vantagem em aplicar neste fundo, entenda que o retorno será previsto no momento da aplicação, tornando os riscos mínimos.  

Além disso, saiba que a legislação do Brasil permite a aplicação de 70% dos fundos de previdência em renda variável (ações).

Assim como o próprio nome nos sugere, o retorno varia, tornando o risco maior.

Ou seja, os fundos com alta alocação em renda variável são ideais para as pessoas que não se importam em arriscar e visam o retorno em um longo prazo.

Isso ocorre porque não é possível saber quanto o dinheiro irá render.

Apesar disso, tenha em mente que cada fundo de investimento tem as suas regras e benefícios.

Sendo assim, a pesquisa é fundamental para definir em qual perfil você se encaixa e contar com os melhores retornos possíveis.

Taxas e impostos

Um exemplo seria a taxa de administração da previdência complementar que é cobrada todos os anos em forma de percentual.

O valor obtido por meio da taxa é usado para cobrir as despesas e custos do fundo, como a remuneração de gestores que escolhem e administram o portfólio.

Assim, a taxa de administração normalmente está entre 2% e 5% ao ano, embora possa variar conforme o tipo de aplicação que é feita.

Entretanto, esta não é a única taxa ou imposto que é cobrada porque pode depender do plano e do fundo que você definir.


Qual o melhor plano de previdência privada?

A definição de um plano é relevante porque é difícil modificá-lo depois de investir.

Então, entenda a seguir quais os principais planos e qual atenderá melhor às suas expectativas:

Em primeiro lugar, há o PGBL ou Plano Gerador de Benefício Livre, voltado para investidores que visam retornos a longo prazo.

Dessa forma funciona em duas etapas: a acumulação do montante que será investido e o resgate dos recursos.

Este tipo de plano é ideal para quem declara o Imposto de Renda pelo modelo completo.

Isso porque dá para deduzir da base de cálculo do IR em até 12% da renda bruta anual tributável.

E para definir qual o melhor plano de previdência privada, também devemos destacar o VGBL ou Vida Gerador de Benefícios Livres.

Este plano funciona como um seguro de vida com cobertura de sobrevivência, pois o investidor recebe todo o recurso aplicado ao longo do tempo.

Também é dividido em duas fases: a acumulação do montante e o recebimento do benefício que foi acumulado.

O investidor que visa a renda fixa, tendo mais tranquilidade para se aposentar, geralmente investe neste plano.

Portanto, caso você tenha rendimentos isentos de Imposto de Renda e/ou faça a Declaração Anual no modelo simplificado, provavelmente este é o melhor plano em seu caso.

Para melhor diferenciar os planos, confira para qual perfil cada um é indicado:

PGBL:VGBL:
Pretende investir até 12% de sua renda bruta anual em previdência privada;Pretende investir mais de 12% de sua renda bruta anual em previdência privada;
Faz declaração completa do IR;Faz declaração simplificada;
Contribui para Previdência Social;Contribui ou não para a Previdência Social ou Regime Próprio;
É aposentado.É isento de IR.

Para simplificar tudo o que foi citado acima, pense no seguinte:

Defina o plano ao verificar o modelo da sua declaração de Imposto de Renda.

E além dos planos, escolha também entre as tabelas de imposto de renda:

previdência privada

Previdência Privada Bradesco 

Como vantagem, este banco permite que você mude o dia e a forma de pagamento, data de vencimento do plano, além de reduzir o valor da contribuição.

Caso enfrente um momento de emergência e precise de dinheiro, entenda que os recursos podem ser recuperados a qualquer momento que preferir.

Através da portabilidade interna é possível modificar o plano e também o seu perfil do fundo de investimento.

Uma ferramenta interessante do site da empresa seria o simulador de benefício fiscal que lhe permite entender exatamente o valor que deve ser investido para garantir o incentivo fiscal com dedução de até 12% da renda bruta anual com o PGBL.  

Conforme o plano que decide contratar, dá para concorrer a prêmios do banco.

Por fim, você investe no seu futuro e obtém pontos Livelo que podem se tornar serviços e produtos.

Previdência Privada Caixa

Conforme a empresa, não é necessário pagar nenhum tipo de taxa para começar a investir na previdência.

Aliás, as taxas de saída diminuem a cada mês que o cliente mantém o plano.

Outro grande benefício seria a possibilidade de contribuir com uma quantia pequena, tendo em vista que o valor mínimo é de R $35.

Há também os benefícios para mulheres como a previdência privada Caixa ginecológico e gravidez premiada, além de assistências grátis para as crianças..

Previdência Privada Santander

Para garantir a sua tranquilidade no futuro, entenda que o Santander disponibiliza Prev Primeiros Passos, a previdência para os seus filhos, netos e sobrinhos.

Também tem o Futuro Protegido que seria uma reserva financeira para proteger a família.

E caso já tenha um plano de previdência em outra instituição, dá para fazer a portabilidade para o Santander.

Para encerrar, a simulação do seu plano pode ser feita através do ambiente digital.

Previdência Privada Nubank

Uma das vantagens da Previdência Privada Nubank é a flexibilidade!

Pois, é possível tanto fazer pela primeira vez o investimento no Nu Invest, quanto trazer o seu plano de previdência para a instituição financeira.

Ademais, todos os planos disponíveis são em parceria com a Icatu Seguros. Para contratar, o cliente precisa ter conta na Nu Invest e realizar uma simulação online.


Quanto tempo tenho que pagar e qual o valor da contribuição?

O tempo mínimo de investimento de uma previdência é de 8 anos.

Ou seja, a pessoa que pretende se aposentar com 60 anos de idade deve começar a investir na previdência com até 52 anos.

Geralmente é indicado que você invista o quanto antes para conferir maior serenidade no futuro.

Assim como citamos acima, falando sobre as vantagens da previdência privada no Santander, há planos até mesmo para os filhos, por exemplo.

Porém, isso não significa que não vale a pena investir na previdência depois de mais velho.

Claro que vale, basta que você adapte o seu plano conforme o tempo que estiver disponível.

Nesse sentido, no momento da escolha, fique atento ao valor mínimo do aporte inicial.

Este valor representa a quantia mínima que pode ser investida em determinado plano.

Note que algumas empresas permitem o investimento de valores baixos, partindo de R $1,00, até valores maiores como R $500, R $1000 ou R $10000.


Conclusão

previdência complementar

Esperamos que você tenha conseguido definir o melhor plano, assim como uma instituição financeira para o investimento na sua previdência privada.

E caso queira conferir mais conteúdos de forma resumida, conheça o Instagram do Valor Notícias.

Mais Aprovados do Site!

APROVAÇÃO EM ALTA!
Neon Visa
COMO SOLICITAR
Buscapé PAN
COMO SOLICITAR
RECOMENDADO!
cartão-de-crédito-santander-sx-visa
Santander SX
COMO SOLICITAR
Emprestimo-Bom-Pra-Credito-Pessoal
Bom pra Crédito
COMO SOLICITAR
Credicard Zero
COMO SOLICITAR

0

Valor Notícias
Logo