Análise de crédito – Saiba o que é e como o é feita!

Anúncios

Receber uma resposta negativa a cada vez que solicitar um cartão de crédito ou empréstimo, não é algo fácil. Mas é fundamental saber o que é e como funciona a análise de crédito a fim de entender o motivo da negação.

A seguir, iremos destacar todas as informações sobre esta análise para que você não se frustre e deixe de obter o crédito que tanto necessita, vamos lá:

Sumário do que você vai conferir nesse conteúdo:

  • O que é análise de crédito? 
  • Os tipos de análise;
  • Como uma análise de crédito é feita? 
  • Quem pode consultar o meu CPF e realizar uma análise de crédito? 
  • Como ter uma análise de crédito aprovada? 
  • Conclusão.

O que é análise de crédito?

Esta análise é feita pelo banco que irá ceder o produto financeiro, sendo que será verificado se você é capaz de devolver o valor concedido.

Anúncios

Sendo assim, por meio deste processo, o banco entende quais os riscos em disponibilizar o produto para o seu perfil.

E além de identificar os clientes que futuramente não poderão honrar com as suas obrigações, esta análise é feita para definir o valor que pode ser disponibilizado para determinado consumidor.

No caso do empréstimo, a empresa verifica se o valor solicitado é adequado, e para o cartão de crédito, será definido o limite.

Por outro lado, a análise de crédito é importante para escolher o Custo Efetivo Total (CET) e os juros cobrados em serviços financeiros.

Além de o valor de um crédito depender da instituição financeira definida, também é possível que a análise interfira.

Por exemplo, quanto maior o risco de inadimplência, maior será o CET e as taxas de juros do crédito.

Os tipos de análise 

Cada instituição determina o modelo da sua análise, porém há alguns tipos que devem ser entendidos por todos os clientes:

Análise cadastral 

Em primeiro lugar, temos a análise dos dados do cliente que é feita por grande parte dos bancos.

Portanto, a análise cadastral é feita a fim de determinar valor do crédito, taxas de juros e prazo de amortização.

Aqui, a empresa também define se é necessária a vinculação de bens como garantia de pagamento.

Por exemplo, um cliente negativado que pretende obter um empréstimo será direcionado para o crédito com garantia de móvel ou veículo.

Isso ocorre porque quanto mais confiáveis forem as informações fornecidas, melhores serão as condições do produto financeiro.

Assim, as empresas podem solicitar os seguintes dados para fazer a análise de crédito cadastral: 

  • Estado civil do cliente;
  • Idade;
  • Escolaridade;
  • Idoneidade (se o seu perfil de fato é confiável);
  • Moradia (tempo de residência, bem como se a sua casa é própria ou alugada);
  • Quantidade de dependentes;
  • Situação legal dos documentos;
  • Renda (principal e complementar, caso tiver);
  • Qual atividade é exercida;
  • Tempo no emprego atual.

No que diz respeito à documentação legal, saiba que talvez seja necessário apresentar:

  • Cartão de Identificação do Contribuinte (CPF);
  • Cédula de identidade (RG);
  • Certidão de casamento, caso seja casado;
  • Anexo da declaração do imposto de renda para a declaração de bens, de acordo com a Lei 8.009/1990 (Lei de Impenhorabilidade do Bem de Família);
  • Comprovantes de residência e de renda;
  • Procurações, caso houver;
  • Cartões de Instituições Financeiras (originais);
  • Ficha Cadastral preenchida e assinada.

Análise de crédito financeira 

Para que uma empresa defina se você é capaz de cumprir com as suas obrigações em determinada operação, certamente ela deve analisar as suas finanças.

Esta empresa entende que há uma relação direta entre a sua renda e a taxa de inadimplência.

Para exemplificar, vamos pensar que um profissional autônomo queira solicitar crédito com uma parcela mensal de R $700.

Para a comprovação de renda, ele fornece o histórico da sua conta corrente e a empresa observa o seguinte cenário:

Nos meses anteriores, o profissional recebeu R $1 mil, sendo que no último mês, a renda foi de R $5 mil.

Toda esta inconsistência pode fazer com que a empresa negue o crédito porque foi possível notar que alguns fatores podem prejudicar o futuro pagamento da dívida contraída.  

Nesse sentido, será considerado o seguinte:

No próximo mês, a renda do autônomo pode voltar a ser R $1 mil e ele não consiga pagar pela parcela.

Portanto, note que além do banco precisar saber o valor da sua renda, será necessário definir a probabilidade de continuar sendo recebida.

E para que a análise de crédito financeira seja feita, o banco pode precisar de:

  • Demonstrativos de pagamento;
  • Extratos Bancários como as melhores fontes de informações sobre a renda do consumidor;
  • Declaração de Imposto de Renda.

Análise de idoneidade 

Em terceiro lugar, temos a análise que visa às informações voltadas a sua idoneidade com o mercado de crédito que significa o seguinte:

De acordo com o seu histórico financeiro e o seu comportamento no mercado de crédito, você é uma pessoa confiável para disponibilizar determinado produto financeiro?

Sendo assim, a instituição contará com empresas especializadas no gerenciamento de risco de crédito como, por exemplo, SPC (Serviço de Proteção ao Crédito), Serasa e Boa Vista Serviços (SCPC).

Por isso, a análise de crédito de idoneidade está classificada em 4 categorias:

Quando não existe nenhuma informação negativa sobre o usuário no mercado de crédito, chamamos “sem restritivos”.

Por outro lado, há a classificação de “alertas” quando há registros negativos no mercado de crédito, porém já foram solucionados.

Quando a análise é feita, nota-se que você já deveu determinada empresa, mas pagou, isso não impede a concessão de novos créditos.

A diferença é que a análise será mais criteriosa por parte do agente de crédito.

Em contrapartida, a categoria de “restritivos” inclui os clientes que perderam a credibilidade no mercado financeiro devido a renegociações, registros de atrasos e também a geração de prejuízos aos credores.

Por fim, aqueles que estão na categoria de “impeditivos” estão impedidos de obterem crédito.

Como exemplo, podemos citar o de bloqueios de bens, impedimentos no Sistema Financeiro da Habitação (SFH), proibições legais de concessão de crédito, dentre outros.

Análise de crédito de relacionamento

Todas as informações obtidas por meio do histórico de relacionamento do consumidor com o credor e o mercado de crédito, são importantes para esta análise.

Isto é, quando este consumidor já é conhecido da instituição, dá para extrair alguns dados importantes como, por exemplo, as taxas de juros aplicadas em créditos que foram adquiridos anteriormente, além da pontualidade na amortização.

Este tipo de análise pode auxiliar na análise da idoneidade, tendo em vista que garante uma decisão favorável ou não à disponibilização do serviço financeiro.

Análise de sensibilidade 

Em quarto lugar, podemos falar sobre uma análise muito importante, em que é monitorada a situação macroeconômica.

Para aqueles que ainda não sabem, a macroeconômica engloba variáveis relevantes da economia como a desigualdade, pobreza, desemprego, Produto Interno Bruto (PIB), exportações, importações, globalização, questões sociais e política monetária.

Dessa forma, é possível prever quais as situações podem aumentar o risco de inadimplência.

Análise patrimonial

Como último exemplo de análise de crédito, podemos falar sobre a patrimonial, usada para a verificação de garantias que o consumidor pode vincular ao contrato.

Esta garantia pode ser um bem que venha assegurar o pagamento do crédito.

Portanto, o Banco Central estabelece que os bancos precisam exigir garantias capazes de garantir o retorno do capital usado na operação.

Aqui, entra o crédito com garantia de imóvel, em que é necessário apresentar:

  • Documento de identificação (RG, CNH);
  • Comprovante de estado civil;
  • IPTU;
  • Matrícula atualizada do imóvel.

Em contrapartida, o refinanciamento de veículo exige os seguintes documentos:

  • Documentos pessoais, como RG e CPF;
  • CRV – Certificado de Registro de Veículo (documento do carro expedido pelo DETRAN);
  • Documento Único de Transferência do veículo (DUT).

Como uma análise de crédito é feita? 

A fim de tornar o entendimento simples, iremos considerar o seguinte cenário:

Maria está negativada, é aposentada e pretende obter um empréstimo para reformar a sua casa.

Dessa forma, Maria começa a buscar por alternativas de crédito e decide fazer a simulação no Banco X.

Provavelmente o Banco X fará uma avaliação do histórico de crédito de Maria com os dados que foram fornecidos inicialmente.

Através dos órgãos de proteção ao crédito, será possível ter uma base dos riscos em disponibilizar o produto financeiro.

Estes órgãos disponibilizam duas informações relevantes para a análise de crédito: se o perfil está negativado e qual o score de crédito.

Tendo em vista que Maria está negativada, o Banco X recorrerá a alternativas mais seguras como o crédito com garantia ou o consignado.

Isso também ocorre porque Maria está com o score baixo, indicando que as chances de inadimplência são altas.

Logo após verificar o histórico, o banco pode fazer uma projeção das condições do empréstimo consignado, visto que ela é aposentada.

Caso Maria concorde com as taxas de juros, valor disponível e o CET, ela deve enviar os documentos.

O Banco X verifica se de fato Maria é aposentada e se os dados fornecidos inicialmente são compatíveis com os documentos.

Quem pode consultar o meu CPF e realizar uma análise de crédito? 

Bom, a consulta do seu CPF pode ser feita de maneira legal nas seguintes situações:

  • Empresas que vendem os produtos de forma parcelada ou que o pagamento é feito em cheque, sendo que é necessário conhecer o seu histórico de pagamento;
  • Bancos e financeiras que desejam saber a situação do seu CPF para a disponibilização de produtos financeiros;
  • Negócios que enxergam o seu perfil como um potencial consumidor para determinado produto ou serviço;
  • Seguradoras que analisam a sua situação caso você queira renovar os seguros de carro ou de casa.

Nesse sentido, se o usuário desconhecer alguma das ações que justifiquem a consulta ao CPF, isso pode indicar uma situação de risco.

Assim, é necessário ficar atento para que ninguém venha obter serviços sem a sua autorização.

Para aqueles que notarem a consulta de uma empresa à qual nunca entraram em contato, é necessário solicitar informações acerca do motivo desta consulta.

Através de uma busca simples na internet, você é capaz de encontrar o ramo desta empresa, endereço e telefone para contato.

Como ter uma análise de crédito aprovada? 

Inicialmente, é importante que você limpe o seu nome.

Um dos primeiros passos para efetuar a análise seria consultar os órgãos de proteção ao crédito, que passarão uma imagem negativa do seu perfil ao banco, caso o seu nome esteja sujo.

Portanto, quite as suas dívidas!

Além disso, evite o atraso no pagamento das contas.

Por mais que as contas atrasem poucos dias, nota-se a sua dificuldade em cumprir com os compromissos e isso prejudica a pontuação do seu score.

Caso seja possível, antecipe o pagamento, em especial a fatura de cartão de crédito, pois alguns bancos fornecem vantagens como a liberação do limite ou descontos.

Para evitar qualquer problema no pagamento, você também pode investir no débito automático.

E por falar em contas, saiba que elas precisam estar em seu nome.

No momento da análise financeira, esta é uma estratégia importante porque o banco terá mais recursos a fim de acompanhar a movimentação do seu CPF.

Falando sobre os cartões de crédito, saiba que você não deve ter muitos.

Caso seja constatado que você tem vários limites baixos, conclui-se que já excedeu o limite de crédito ideal para o seu perfil.

Aliás, uma grande quantidade de cartão causa confusão e a falta de organização leva à inadimplência.

No que diz respeito ao limite baixo, aguarde uma análise de crédito e o aumento por parte da empresa.

Quando você solicita a cada mês o aumento do limite, este pode ser um indicativo de que está sempre precisando de dinheiro.

Também é importante evitar a solicitação de qualquer produto financeiro a uma empresa em que já teve alguma dívida.

Por mais que você tenha limpado o nome, o cadastro interno está ativo e consta histórico de débito.

Por fim, cadastre-se no Cadastro Positivo e mantenha seus dados atualizados.

Conclusão

Note que há diversos tipos de análise de crédito e cada uma das instituições financeiras conta com o seu processo.

Nesse sentido, é fundamental que você tenha ou crie um bom histórico financeiro e apresente todos os documentos para comprovar a capacidade de quitar as dívidas.

Seja transparente e saiba comparar entre as instituições no ambiente digital para que finalmente seja aprovado, boa sorte!

Compartilhe:

Posts Relacionados