Como calcular seguro desemprego em poucos minutos

Como calcular seguro desemprego é uma das principais dúvidas de quem passa pelo processo de rescisão.

Anúncios

Isso porque, após a perda da fonte de renda, o seguro desemprego acaba auxiliando bastante.

Desse modo, saber quanto vai receber é importante para ajustar as contas e evitar dívidas.

Por esse motivo, no artigo de hoje veremos como é possível determinar o valor com facilidade.

Além disso, também aprenderemos sobre retirada, direito e muito mais.

Dito isso, para ficar por dentro do assunto e entender sobre esse direito trabalhista, continue sua leitura! 

como calcular seguro desemprego

O que é seguro desemprego? 

Antes de falarmos sobre como calcular seguro desemprego, é importante entendermos como esse benefício funciona.

O seguro desemprego é um benefício previdenciário concedido a trabalhadores que passaram pelo processo de rescisão trabalhista, sem aviso prévio.

Isso significa que para receber o seguro o funcionário deve ter sido mandado embora, sem justa causa.

O motivo para isso é que o seguro visa auxiliar na manutenção das contas, até que o cidadão consiga encontrar um novo emprego.

Esse benefício é pago mensalmente, e pode se estender em até 6 parcelas.

Essas parcelas são determinadas com base no último salário recebido pelo trabalhador.

Desse modo, o valor máximo recebido por mês com seguro desemprego pode chegar a R$ 2.230,97.

Mas, vale dizer que esse valor varia, e para descobrir quanto receberá é preciso saber como calcular seguro desemprego.

E, se você ainda não sabe, fique tranquilo que veremos isso mais a frente! 

Quem tem direito ao seguro?

Uma dúvida muito comum quando falamos de seguro desemprego é quanto a quem tem direito.

Isso porque, por ser um benefício previdenciário, muitos acreditam que qualquer pessoa tem direito, após passar pela demissão.

Mas, a verdade é que não é bem assim, visto que o seguro tem por intuito auxiliar em caso de demissões que ocorreram sem aviso prévio.

Isso porque, como bem sabemos, ser pego de surpresa com uma rescisão trabalhista pode colocar as contas no vermelho.

Mas, quando você pede demissão, ou é demitido por justa causa, entende-se que não houve surpresa.

Portanto, nesses casos o seguro desemprego não é concedido ao trabalhador.

Sendo assim, para ter direito é preciso:

  • Ter trabalhado por no mínimo 6 meses na mesma empresa antes da rescisão;
  • Não ter sido mandado embora por justa causa ou por pedido de demissão;
  • Não receber BPC.

Com isso, podemos perceber que o seguro desemprego é um auxílio, de modo que deve ser solicitado apenas em caso de necessidade.

Para calcular seguro desemprego tem que considerar o último salário? 

Uma das principais dúvidas sobre como calcular seguro desemprego, é a respeito do valor.

Isso porque, criou-se o mito popular que o valor pago corresponde ao último salário recebido pelo trabalhador, e não é bem assim.

A verdade é que o último salário serve apenas como base de cálculo.

E, isso funciona da seguinte maneira:

  • Para quem recebeu até R$ 1.686,79, deve-se multiplicar o último salário por 0,8.
  • Já para quem recebeu de R$ 1.686,80 a R$ 2.811,70, o cálculo deve ser 978,22 somado à multiplicação do excedente de 1.686,80 por 0,5.
  • E, por fim, para quem recebia acima de R$ 2.811.71, a parcela é fixa, no valor de R$ 1.911,84.

Com isso, podemos concluir que o valor do seguro desemprego não corresponde à totalidade do último salário recebido.

Essa é uma informação importante ao saber como calcular seguro desemprego.

Como calcular seguro desemprego?

Depois de tudo que te explicamos anteriormente, fica mais fácil saber como calcular seguro desemprego.

Isso porque, basta que você faça as multiplicações, conforme explicado no último tópico.

Mas, para exemplificar e facilitar o entendimento, vamos a um exemplo.

Suponhamos que você tenha recebido como último salário o valor de R$ 1.896,00.

Esse valor faz parte da segunda faixa, e deve seguir a regra de multiplicar o excedente de R$ 1.686,80 por 0.5.

Isso resulta em R$ 843,40, que pela regra deve ser somado ao valor de 978,22, totalizando R$ 1.821,62. 

Esse é um exemplo de como deve ser feito o cálculo, e como podemos ver, não é tão complicado.

Mas, caso você busque praticidade, diversos sites oferecem uma calculadora de seguro desemprego gratuita.

Nesse caso, basta incluir as informações solicitadas, e o valor já é descrito automaticamente.

Como é possível retirar o seguro desemprego?

Após saber como calcular seguro desemprego, o próximo passo é saber como retirar.

E, é importante salientar que só é possível retirar após a solicitação aprovada.

Desse modo, após a demissão você deve aguardar a baixa na sua carteira de trabalho.

Em seguida, basta ir até o aplicativo Carteira de Trabalho Digital, e procurar por seguro desemprego.

Com isso, já será possível fazer o processo de solicitação, que caso obtenha aprovação, basta retirar pela conta de preferência.

Mas, caso você não cadastre nenhuma conta, o depósito será em uma Poupança Social Caixa, no Caixa Tem.

É possível perder direito ao benefício?

E, por fim, nosso último tópico falará sobre um assunto que muitos têm dúvida.

Afinal de contas, após a concessão do seguro desemprego, é possível perder o benefício.

E, sim, a resposta para essa pergunta é positiva, e explicaremos o motivo.

Como já vimos, o seguro desemprego é uma espécie de auxílio para o período em que o cidadão busca um novo emprego.

Sendo assim, caso o mesmo encontre um novo emprego antes da finalização do pagamento das parcelas, essas serão suspensas.

Isso significa que caso você tenha direito a 6 parcelas, mas, consiga um novo emprego na segunda, as próximas 4 serão suspensas.

Além disso, em casos de fraudes ou inconsistências de informações, o benefício também pode ser suspenso.

Por isso, é imprescindível agir com honestidade, e ter cuidado ao solicitar o seguro desemprego.

Desse modo, você consegue garantir seu auxílio, para procurar por um novo emprego com mais tranquilidade.

Então, agora que você já sabe como calcular seguro desemprego, faça suas contas o quanto antes e aproveite para solicitar seu benefício!

Trends